Bancários

Sindicato de Maringá e Região

CONTEC
13° MIN 30° MÁX MARINGÁ
Seu Banco:


06/09/2017

Caixa lucra R$ 4,1 bi no primeiro semestre com melhora operacional


Com uma melhora expressiva nos números operacionais, a Caixa Econômica Federal registrou lucro líquido de R$ 4,1 bilhões no primeiro semestre deste ano. O resultado representa uma alta de 104% em relação ao mesmo período de 2016. O banco público ainda não divulgou o balanço referente aos seis primeiros meses do ano, mas os dados já constam no Banco Central. Procurada, a Caixa não comentou o assunto.

O resultado operacional do banco, que foi de apenas R$ 244 milhões no primeiro semestre de 2016, saltou para R$ 3,9 bilhões entre janeiro e junho deste ano. A melhora ocorreu com a redução nas despesas de captação e também das provisões para perdas no crédito, que levaram o resultado da intermediação financeira da instituição a aumentar 133% no período, para R$ 15,133 bilhões.

Outro destaque do balanço foram as receitas de prestação de serviços, que aumentaram 11%, para R$ 9,476 bilhões. As despesas administrativas e de pessoal somaram R$ 17 bilhões, alta de 7% na comparação com o primeiro semestre do ano passado.

Para conter os gastos, o banco reabriu entre julho e o mês passado um novo programa de demissão voluntária (PDV). Em março, a Caixa concluiu um PDV que tinha como meta 10 mil adesões, mas atingiu apenas 4.645 funcionários.

Com restrições de capital após o forte crescimento nos últimos anos, a Caixa reduziu o ritmo de expansão da carteira de crédito. O saldo da carteira do banco encerrou junho em R$ 703,7 bilhões, alta de 4% em 12 meses e de 0,2% no trimestre, de acordo com os dados do BC. As despesas com provisão recuaram 3% em relação aos seis primeiros meses do ano passado, para R$ 9,733 bilhões.

Apesar do freio no crédito, o banco segue com pouco espaço no balanço para emprestar. O índice de capital nível 1 (de melhor qualidade) encerrou o semestre em 8,9%, levemente acima dos 8,7% registrados em junho do ano passado.

Após a implementação integral das regras de Basileia 3, em 2019, os bancos precisarão contar com um índice de pelo menos 9,5%. Sem poder contar com aportes do Tesouro em meio ao ajuste fiscal, a Caixa deve reforçar o capital com a venda de ativos. Pelos planos do governo, o leilão da Lotex, empresa de loteria instantânea do banco, deve ocorrer ainda neste ano.

O banco público anunciou ontem o resultado das captações com a caderneta de poupança, que acumula uma entrada de R$ 944,1 milhões de janeiro a agosto deste ano, na contramão do mercado, que até o último dia 28 registrava resgates líquidos de R$ 12,8 bilhões. A Caixa possui um total de 7,1 milhões de contas de poupança, com um saldo de R$ 261 bilhões. (Fonte: Valor Econômico)



04/09/2017

Valores da PLR e salários serão conhecidos no início do mês


Acordo de dois anos garante a todos os bancários aumento real nos salários, PLR e demais verbas. Cálculo preciso de quanto isso representa para o seu bolso só poderá ser feito após o anúncio do INPC. Anúncio do INPC deve ser feito no dia 6 de setembro

A Convenção Coletiva de Trabalho da categoria bancária prevê neste ano aumento real nos salários de 1%. Ou seja, o percentual de reajuste é composto pela inflação entre 1º de setembro de 2016 e 31 de agosto de 2017 acrescida de um ponto percentual de aumento real.

Sendo assim, para fazer o cálculo preciso de para quanto, de fato, vão salários e demais verbas - inclusive a regra básica e parcela adicional da PLR - é necessário primeiro saber quanto foi a inflação no período citado, medida pelo INPC. O anúncio oficial do INPC neste período ainda não foi feito pelo IBGE e está marcado para o início de setembro, provavelmente na quarta 6.

"Ou seja, não há como ninguém - Sindicato, banco, bancário - fazer qualquer cálculo preciso e confiável sem o anúncio do INPC. Nem os bancos sabem exatamente quanto terão de pagar", afirma a secretária-geral do Sindicato, Neiva Ribeiro. "Por isso, não acredite em boatos.

PLR
O pagamento da antecipação da PLR é composto por uma regra básica e uma parcela adicional. Ambas estão atreladas a valores que serão reajustados de acordo com a CCT (INPC + 1% de aumento real).

A regra básica, por exemplo, é calculada sobre o salário do bancário (54% do salário), então, sem o valor atualizado dos vencimentos, não há como calcular a regra básica (lembre-se de que o salário será reajustado pelo INPC + 1% de aumento real).

À mesma regra básica é acrescido um valor fixo, que também é reajustado pelo índice geral (INPC + 1% de aumento real). Isso vale para bancos públicos e privados.

O outro montante que compõe a PLR é a antecipação da parcela adicional. Esta depende do lucro do banco (distribuição linear de 2,2% do lucro do 1º semestre), mas o teto de pagamento também é reajustado pelo índice geral (INPC + 1% de aumento real).

Ainda de acordo com a CCT, os bancos têm até 30 de setembro para creditar a antecipação da PLR, e o Sindicato já enviou carta cobrando a antecipação. (Fonte: Seeb SP)



04/09/2017

Caixa é condenada a pagar R$ 1 milhão por não cumprir cota para pessoas com deficiência


Na ação, o MPT demonstrou, a partir de números informados pela própria Caixa, que o quadro da empresa estava em déficit com a legislação

A Caixa Econômica Federal (CEF) foi condenada a pagar R$ 1 milhão em indenização, por danos morais coletivos, e dar prioridade aos aprovados no concurso público de 2014 para cumprir a cota de 5% dos cargos ocupados por pessoas com deficiência.

A decisão foi da juíza Maria Socorro de Souza Lobo, da 7ª Vara do Trabalho de Brasília, que aceitou a ação civil pública do Ministério Público do Trabalho (MPT).

A magistrada decidiu pelo cumprimento imediato, após o trânsito em julgado, da reserva de vagas às pessoas com deficiência ou reabilitados, no percentual previsto em Lei, do total do quadro de empregados e vagas disponíveis.

Ação 
Na ação, o MPT demonstrou, a partir de números informados pela própria Caixa, que o quadro da empresa pública possui apenas 1,42% de PCDs, com déficit de 3.561 pessoas para se alcançar a cota mínima.

Caso descumpra a sentença, a Caixa pode pagar multa diária de R$ 10 mil, limitada ao valor de R$ 1 milhão. (Fonte: JConline)



04/09/2017

Justiça condena caixa a contratar aprovados em concurso de 2014


A Sexta Vara do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT 10ª) condenou o banco a se adequar a lei 8.312/91 – que determina a empresas com mais de mil empregados a ter em seus quadros, pelo menos 5% de Pessoas Com Deficiência (PCD) ou reabilitados.

Para que a Caixa atenta a lei e a determinação da Justiça, é necessário a contratação de quase 3,5 mil empregados com PCD ou reabilitados. No concurso de 2014, 3 mil candidatos nessas condições foram aprovados e agora, deverão ser contratados.

A Caixa ainda foi condenada a pagar indenização de 1 milhão de reais por danos morais coletivos. O banco ainda pode recorrer da decisão. (Fonte: Contec)



01/09/2017

BB pagou primeira parcela da PLR

Pagamento foi efetuado no mesmo dia da distribuição de dividendos aos acionistas

Os funcionários do Banco do Brasil receberam nesta quinta-feira (31) a parcela da Participação nos Lucros e Resultados referente ao primeiro semestre de 2017.

Em comunicado enviado aos funcionários pela intranet, o banco disse que, em virtude do aumento do lucro e da rentabilidade do banco, foi paga, também a parcela variável da PLR do denominado módulo BB.

“O valor que cada funcionário vai receber representa, em média, um incremento de 20% em relação ao pago no mesmo período de 2016. Para os escriturários, este aumento chega a 24%”, disse o banco em seu comunicado.

O banco diz ainda que, pela primeira vez, os valores referentes à PLR foram creditados junto com a distribuição dos dividendos aos acionistas.

 

Pelo acordo, o banco teria até dez dias úteis após a data de distribuição dos dividendos para pagar a PLR do primeiro semestre de 2017, assim como a do segundo semestre.

O modelo de participação nos lucros ou resultados do Banco do Brasil S.A. dos anos de 2016 e 2017 compõe-se de um módulo básico, denominado “Módulo Fenaban”, e de um módulo especial, denominado “Módulo BB”.

O “Módulo Fenaban” é composto de 45% do salário paradigma (definido no acordo), conforme tabela que faz parte do acordo assinado, acrescido de parcela fixa a ser definida pelo banco, para cada semestre.

O Módulo BB constitui-se da “Parcela Linear”, formada pela distribuição de 4% do lucro líquido verificado no semestre entre os participantes do Programa PLR, e da “Parcela Variável”, que depende do resultado do lucro líquido e cumprimento de acordo.

 (FEEB/PR - Com Contec)



31/08/2017

PLR: pagamento até no próximo dia 30 de setembro




29/08/2017

Edital de convocação Negresco S/A




28/08/2017

Feliz Dia do Bancário. Dia de muito orgulho para todos nós




28/08/2017

Caixa sagra-se campeã do Campeonato de Futebol Suíço dos Bancários




28/08/2017

Bancários recebem lembrança do Sindicato neste dia 28 de agosto


Para comemorar o Dia do Bancário e em reconhecimento e apreço a cada um desses profissionais, o Sindicato está entregando uma lembrança a todos os sindicalizados à entidade. Trata-se de um avental de churrasqueiro, personalizado, com a logo do Sindicato, para ser usado em momentos de confraternização, de encontro, de celebração da amizade, em família, reforçando simbolicamente os desejos da entidade para que todos os bancários vivam intensamente esses momentos marcantes de suas vidas.

“Esta lembrança que entregamos tem esse valor simbólico, de nosso apreço, nosso afeto, nosso orgulho em representar cada um dos bancários de nossa base. Esperamos que este avental venha a ser usado em muitas oportunidades alegres, de amizade, de família”, comenta o presidente Claudecir de Souza.

MOMENTO DE FORTALECER O SEU SINDICATO

Na oportunidade, o presidente chama a atenção da categoria também para este importante momento histórico, em que os trabalhadores estão sendo espoliados de seus direitos. “Depois de praticamente rasgarem nossa CLT, nossos direitos, agora miram no enfraquecimento das entidades de classe, que são as legítimas representantes dos trabalhadores. Portanto, este é momento de nos unirmos, de buscarmos o fortalecimento do nosso sindicato, que é quem efetivamente faz o enfrentamento, a luta, é a guarida de toda a categoria frente à espoliação promovida pelos patrões em sua busca do lucro a qualquer custo”, enfatiza.



Anterior | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 | 16 | 17 | 18 | 19 | 20 | 21 | 22 | 23 | 24 | 25 | 26 | 27 | 28 | 29 | 30 | 31 | 32 | 33 | 34 | 35 | 36 | 37 | 38 | 39 | 40 | 41 | 42 | 43 | 44 | 45 | 46 | 47 | 48 | 49 | 50 | 51 | Próxima






Travessa Guilherme de Almeida, 36 - 1º andar
Centro - CEP 87013-150 - Maringá/PR

Fone (044) 3227-2955 - Fax (044) 3031-2965

2015 - Sindicato dos Bancários de Maringá e região - Todos os direitos reservados.