Bancários

Sindicato de Maringá e Região

CONTEC
15° MIN 25° MÁX MARINGÁ
Seu Banco:


03/05/2018

Começa o Encontro Interestadual para discutir Campanha Salarial

Teve início nesta quinta-feira, dia 3,  o Encontro Interestadual de Dirigentes Sindicais Bancários do Sul, organizado pela Federação dos Bancários do Estado do Paraná (Feeb/PR). De Maringá, estão presentes vários diretores do Sindicato, representando os três segmentos: bancos privados, Caixa e Banco do Brasil. São eles: Claudecir de Souza, presidente, Carlos Roberto Rodrigues, vice-presidentes e os diretores César, Carlos, Ricardo, Edson Mosca, Israel e Odilon.


O principal objetivo do encontro será a apresentação e aprovação de reivindicações dos bancários que posteriormente serão levadas ao encontro nacional para a planificação da pauta que será apresentada aos bancos, marcando o início da negociação salarial de 2018.

Durante o evento também serão proferidas palestras e debatidas as principais questões que vem preocupando os trabalhadores bancários e suas entidades sindicais, como as alterações trazidas pela reforma trabalhista e o custeio dos sindicatos.



PROGRAMAÇÃO:
8h30 - 9h30 = Abertura
9h30 às 11h00 - Palestra com Sr. André Grandizoli, graduado em ciências econômicas, pós graduado em políticas públicas de trabalho, emprego e renda; auditor fiscal do trabalho; ex-chefe de inspeção do trabalho na Superintendência Regional  do Ministério do Trabalho  o DF; ex-secretário adjunto de relações do trabalho do  Ministério do Trabalho.



Palestra/temas:
Impacto do fim da MP 808 para os trabalhadores;
Análise do Art. 8º Inciso IV da CF/88;
Análise das decisões judiciais sobre aprovação em assembleias da contribuição sindical);
Possibilidades de custeio das entidades sindicais face às novas regras da reforma trabalhista.

11h00 às 12h = debates
12h as 13h30 - almoço

13h30 às 17h30 = Plenária Final: apresentação de propostas/sugestões para inclusão em minutas de CCT e ACT da campanha salarial 2018-2019 - FENABAN/CAIXA E BANCO DO BRASIL

18h00 =  ENCERRAMENTO


 



30/04/2018

Dia do Trabalhador, dia de luta


Claudecir de Souza, presidente

 

Primeiro de Maio é muito mais que um feriado. É muito mais que uma data para se rememorar as lutas dos trabalhadores, travadas ao longo dos séculos, manchada de suor e sangue. É dia de reflexão, de chamar a atenção para o momento presente, sobretudo em nosso país, em que direitos consagrados estão sendo espoliados.

Na correria do dia a dia, é bem possível que muitos trabalhadores, tragados pela agenda sempre apertada, pela necessidade de reuniões, de metas a serem batidas, se esquecem do seu papel nesta engrenagem capitalista.

E a função do trabalhador, seja da indústria, do setor de serviços, do comércio, qualquer um, é somente uma: dar lucro. Sempre mais e mais. Ser a cada dia mais produtivo. Para a empresa, trata-se de um número, uma peça na grande engrenagem.

Não critico a necessidade do lucro, este é a base do sistema dominante hoje no mundo e não podemos escapar disso. O que quero chamar a atenção é para a conscientização de cada trabalhador bancário. Quando temos a exata noção do que representamos nesse sistema, nos despimos um pouco da vaidade, do espírito individualista, divisório, competitivo, que é fomentado pela empresa, pelo sistema.

Aprendemos que é preciso ajudar o colega ao lado que está passando por dificuldade, defendê-lo ao ter os seus direitos violados. Que é preciso buscar a união junto àqueles que também cumprem o mesmo papel que nós nesta engrenagem. Com isso, passamos a enxergar as mesmas necessidades, a levantar as mesmas bandeiras. Percebemos que, ao lutarmos pelos direitos do nosso colega de trabalho, estamos lutando também por nossos direitos.

Percebemos que, do lado dos donos do capital, dos patrões, embora capitalistas, extremamente competitivos, na hora de defender os seus interesses buscam a união.

Foi exatamente o que fizeram ao impor uma agenda pró-patronal no Congresso Nacional, fazendo aprovar a Lei da Terceirização e da Reforma Trabalhista. Unidos, eles conseguiram espoliar, dos trabalhadores, direitos adquiridos por décadas de lutas.

E do nosso lado, como estamos? Temos a noção de que a luta do nosso Sindicato é também a nossa luta, a defesa que a entidade faz de um colega que foi agredido moralmente, assediado, é também a nossa defesa?

Faço essa reflexão e chamo a atenção para o presente momento. Se quisermos manter os nossos empregos, os nossos direitos, temos de ir à luta, buscando a união com aqueles que estão do mesmo lado do front.

Nossa campanha salarial está aí. Todos nós sabemos que a luta será muito maior, que as dificuldades impostas pelos patrões serão gigantescas. Se puderem, além de arrancar a nossa roupa, irão quer esfolar também a nossa pele.

Portanto, se avançamos até aqui, como uma das categorias que acumula maior número de conquistas, será necessária muita união, força e determinação para continuarmos  na dianteira.

 



30/04/2018

Parabéns a todos os bancários neste 1º de Maio




27/04/2018

Reuniões na base são oportunidade para ouvir bancários

O Sindicato deu o pontapé  à Campanha Salarial 2018 com a realização de diversas reuniões na base. A ideia é expor a conjuntura nacional e política sob a qual serão realizadas as negociações e ouvir dos bancários as suas reivindicações.

As reuniões aconteceram em Sarandi (18/04), Astorga (25/04),  Mandaguari (26/04). Já em Marialva será dia 27/04 e estão sendo agendadas em de Mandaguaçu e Santa Fé.

Os bancários podem contribuir ainda enviando sugestões para campanhasalarial2018@bancarios.org.br.



27/04/2018

Informe aos bancários




24/04/2018

Vacinação encerra-se dia 8 de maio

Os cupons para a vacinação contra a gripe poderão ser adquiridos pelos bancários e seus dependentes legais somente até no próximo dia 8 de maio. Já os cupons adquiridos devem ser utilizados até nesta data, na Casa da Vacina, responsável pela vacinação. Frisamos, portanto, que a venda dos cupons, bem como a vacinação, encerram-se até no dia 08/05.



23/04/2018

ITAÚ PAGARÁ PLR INTEGRAL PARA MULHERES EM LICENÇA-MATERNIDADE



Banco informou ainda que trabalhadoras em licença terão avaliações de performance baseadas somente no período trabalhado; medidas são parte de um contexto de luta pela igualdade de oportunidades, antiga bandeira do movimento sindical

Em comunicado interno, o Itaú informou que vai pagar a PLR integral para as mulheres em licença-maternidade, e não mais proporcional, como acontecia até então. Além disso, o banco informou que as trabalhadoras em licença-maternidade terão suas avaliações de performance baseadas somente no período trabalhado, sem contabilização do período de licença.

A dirigente do Sindicato e bancária do Itaú, Erica Godoy, destaca que as mudanças informadas pelo banco são parte de um contexto de luta pela igualdade de oportunidades no setor financeiro.

“São mudanças que contribuem para avançarmos na questão de igualdade de oportunidades no Itaú e refletem todo um debate levantado pelo Sindicato junto ao banco sobre o tema”, avalia Erica.

“Desde 2009, as bancárias, conquistaram a licença-maternidade ampliada de seis meses, fundamental para o período de amamentação, para o vínculo afetivo entre mãe e bebê e no fortalecimento do sistema imunológico da criança. 

Também, em 2016, foi conquistada a licença-paternidade de 20 dias, mediante participação do bancário em cursos de paternidade responsável, o que proporciona que as responsabilidades com o bebê sejam compartilhadas de forma mais justa entre pais e mães”, acrescenta.

O Itaú informou que as mudanças em relação à PLR e avaliação de performance de trabalhadoras em licença-maternidade passam a valer a partir do ciclo de meritocracia de 2018.

“Sabemos que o Itaú, assim como os demais bancos, tem um longo caminho a percorrer em termos de equidade salarial entre homens e mulheres e na ascensão profissional da mulher dentro da instituição. Felizmente, essas duas mudanças vão nessa direção”, conclui Erica. (Fonte: Seeb SP)



19/04/2018

Sindicato vai à base ouvir categoria. Primeira reunião em Sarandi

O Sindicato deu o pontapé  à Campanha Salarial 2018 com a realização de diversas reuniões na base. A ideia é expor a conjuntura nacional e política sob a qual serão realizadas as negociações e ouvir dos bancários as suas reivindicações.


A primeira reunião aconteceu nesta quarta-feira, 18 de abril, em Sarandi. Estão agendadas reuniões também em Astorga (25/04), Marialva (27/04), além de Mandaguaçu, Mandaguari e Santa Fé.


Os bancários podem contribuir ainda enviado sugestões para campanhasalarial2018@bancarios.org.br.



16/04/2018

Sindicato dá largada à Campanha Salarial com reuniões na base




11/04/2018

Caixa é condenada por discriminar empregado que não aderiu a novo plano de previdência


 

A 1ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho de Mato Grosso (TRT/MT) condenou a Caixa Econômica Federal a pagar 10 mil reais de indenização a um empregado por criar regras proibindo sua participação em processo seletivo para preenchimento de cargo comissionado. O banco condicionava a inscrição na seleção à adesão ao novo plano de previdência. A prática foi considerada discriminatória.

O trabalhador, que receberá a indenização, é associado a um mesmo plano de previdência desde 1989, ano em que entrou no banco, assim como vários outros colegas que chegaram na instituição na mesma época que ele. A estatal, todavia, estabeleceu um novo plano previdenciário, com novas regras e diferentes benefícios para quem aderisse, o que não foi o caso do trabalhador, que escolheu continuar no antigo.

Com o passar dos anos, o programa de Processos Seletivo Interno (PSI) do banco também mudou. Em 2010, uma das modificações implementadas foi a de que só poderiam participar das seletivas os empregados que aderissem ao plano de previdência mais recente.

O trabalhador então procurou a Justiça do Trabalho em 2016 pedindo uma indenização por danos morais. Sua alegação era a de que o PSI criou discriminação indevida e impedimento à admissão de função gratificada por ter restringido a participação só para quem havia aderido ao novo plano.

A empresa se defendeu dizendo que o empregado continuou recebendo promoções por mérito e antiguidade entre 2007 e 2014, mesmo fazendo parte do grupo que escolheu continuar no antigo modelo previdenciário. A estatal, todavia, confessou que o novo plano de funções gratificadas não era aplicado aos trabalhadores vinculados ao plano de benefícios antigo, mas que os empregados que ainda eram beneficiários do plano poderiam permanecer no cargo em comissão ocupado antes das mudanças no PSI.

O juiz da 2ª Vara do Trabalho de Rondonópolis, Paulo Barrionuevo, reconheceu a ilegalidade do comportamento do banco e impôs o pagamento de 50 mil reais em indenização ao empregado.

A Caixa recorreu ao TRT mato-grossense, alegando que não houve prova de dano extrapatrimonial para autorizar a condenação por danos morais e que a empresa apenas estava seguindo às normas internas.

O relator do processo na 1ª Turma, juiz convocado Paulo Brescovici, destacou que a conduta da empresa foi discriminatória. “Criou-se critério distintivo arbitrário ao diferenciar grupos de empregados conforme a entidade de previdência complementar a que pertencem, especialmente porque os requisitos para participação em processo seletivo não têm, ou não deveriam ter, qualquer vinculação ao regime de previdência complementar”.

O voto do magistrado foi acompanhado pelos demais integrantes da Turma. Todavia, considerando critérios de não enriquecimento sem causa, caráter pedagógico, entre outros, reduziu o valor da condenação para 10 mil reais. CONTEC

 

Processo 0001442-12.2016.5.23.0022

 



Anterior | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 | 16 | 17 | 18 | 19 | 20 | 21 | 22 | 23 | 24 | 25 | 26 | 27 | 28 | 29 | 30 | 31 | 32 | 33 | 34 | 35 | 36 | 37 | 38 | 39 | 40 | 41 | 42 | 43 | 44 | 45 | 46 | 47 | Próxima






Travessa Guilherme de Almeida, 36 - 1º andar
Centro - CEP 87013-150 - Maringá/PR

Fone (044) 3227-2955 - Fax (044) 3031-2965

2015 - Sindicato dos Bancários de Maringá e região - Todos os direitos reservados.