skip to Main Content

 

Diretores do Sindicato entregaram, nesta quinta-feira, 27/05, ao vice-prefeito Edson Scabora, um ofício solicitando que a prefeitura inclua a categoria bancária entre os grupos prioritários para a vacinação contra a Covid-19.

Participaram da reunião o presidente Claudecir de Souza e os diretores Edson Mosca, Ricardo Wakita e José Alves Sena.

Na oportunidade, os diretores argumentaram que os bancários estão na linha de frente, exercendo um trabalho essencial e emergencial no atendimento à população, portanto, é fundamental a imunização desses trabalhadores.

Além de protegê-los da contaminação, a imunização desse grupo irá contribuir para o controle da doença, uma vez que as agências bancárias são locais de grande circulação de pessoas. Durante mais de um ano de pandemia, dezenas de bancários contraíram a doença, várias agências foram fechadas temporariamente, o que demonstra o alto grau de contaminação nesses locais.

Os diretores apontaram ainda que vários diretores contraíram o coronavírus devido a exposição em decorrência do trabalho nas agências, especialmente no acompanhamento das diversas situações relacionadas à Covid-19. Inclusive o vice-presidente do Sindicato contraiu a doença pela segunda vez e cumpre novamente quarentena. Também, nesse período, a entidade perdeu um de seus diretores.

 

CONFIRA ÍNTEGRA DO OFÍCIO ENDEREÇADO AO GESTOR MUNICIPAL:

Maringá, 27 de maio de 2021

 

Ilmo. Sr. Edson Scabora

Vice-Prefeito Municipal

 

Diante da grave situação de saúde pública em decorrência da Covid-19, solicitamos o atendimento, com a máxima urgência, à seguinte demanda e pelos argumentos abaixo expostos: a disponibilização de vacinas contra a Covid-19 à categoria bancária da base do nosso Sindicato dos Bancários de Maringá e Região, grupo composto por 1.500 profissionais.

Desde o começo da pandemia os bancários estão expostos, na linha de frente, no atendimento à população, realizando um serviço essencial e considerado emergencial. Por exemplo, os programas sociais do Governo Federal são todos pagos na Caixa Econômica, o que deixa todas as agências lotadas e com filas imensas.

Fato semelhante ocorre também nos demais bancos, quase todos os dias lotados de clientes e demais pessoas. Inclusive, desde o início da pandemia diversas agências foram fechadas temporariamente, algumas delas mais de uma vez. Há casos de contaminação de nove bancários no mesmo local. E, nos últimos dias, temos acompanhado aumento exponencial de contaminações.

Também registram-se vários óbitos, inclusive de diretor desta entidade. Outro diretor do nosso Sindicato contraiu a doença pela segunda vez, dada a natureza da exposição do trabalho desta categoria.

Além disso, cada bancário contaminado expõe sua família, além de dezenas de outras pessoas devido ao convívio diário no ambiente profissional. Vale lembrar ainda que os bancos são ambientes totalmente lacrados, sem janelas ou outras formas de ventilação, o que torna a situação ainda mais grave.

Observamos ainda que há outras categorias que estão sendo imunizadas neste momento, no entanto, não têm a mesma exposição dos bancários, que estão na linha de frente, atendendo milhares de pessoas todos os dias.

Disponibilizar a vacinação aos bancários, portanto, é uma questão urgente, necessária, indispensável no auxílio à contenção do avanço do coronavírus e para manter em funcionamento esse serviço essencial à população.

Ressaltamos ainda que o Ministério da Saúde orienta que seja seguido o Plano de Operacionalização, entretanto, cabe ressaltar que o SUS é tripartite e, portanto, estados e municípios têm autonomia para estabelecerem a ordem de vacinação dentro das peculiaridades de cada localidade.

Pelo país, temos dezenas de exemplos da sensibilidade de cada gestor municipal, priorizando grupos devido a sua exposição e dentro de um plano para contenção do avanço da doença. Em março, Amazonas, Pará, Goiás e São Paulo imunizaram agentes da segurança; Bagé incluiu agentes funerários. Também, São Paulo priorizou Metroviários, ferroviários e motoristas de ônibus, que não estavam no Plano Nacional (Portal G1 20/04/2021).

Desta forma, recorremos à sensibilidade do gestor municipal em atender a esta demanda. Devido a exposição desta categoria bancária, é indispensável a disponibilização, com a máxima urgência, da vacinação.

Certos de contar com o atendimento deste pleito, renovamos nossos votos de estima e consideração,

Atenciosamente,

 

CLAUDECIR DE OLIVEIRA SOUZA

Presidente do Sindicato dos Bancários de Maringá e Região

Back To Top